Noticias

ADELAT, a primeira Associação de Distribuidores de Energia Elétrica da América Latina, é oficialmente apresentada

Com foco no futuro, inovação e liderança, as distribuidoras de energia elétrica do Brasil, Peru, Chile, Colômbia e Argentina se uniram para promover a cooperação e liderar a transição energética na região.

O evento de lançamento acontecerá no dia 27 de maio, em formato híbrido (presencial e virtual), contará com a presença de 30 referentes do setor elétrico e mais de 150 participantes. Os responsáveis do ato de abertura serão Antonio Cammisecra, Head Global I&N da Enel; Ramón Castañeda, Presidente de Adelat; Ignacio Santelices, Diretor Executivo da Adelat; e Horacio Nadra, secretário de Adelat, que vai moderar o painel “Distribuição de energia elétrica na transição energética”. O encontro presencial acontecerá na sede da Enel Distribuição São Paulo.

Os dirigentes da nova Associação vão analisar como atingir os objetivos propostos para Adelat, cuja missão, inspirada nos valores  de compromisso, transparência, ética e responsabilidade, é representar os interesses comuns dos seus membros e promover a cooperação para contibuir com seu bom desempenho e fortalecer seu papel como prestadores de serviços de distribuição de energia elétrica na região.

Em sua visão de futuro, a entidade busca ser referência na atividade de distribuição de energia elétrica com o objetivo de promover novas tecnologias e melhores práticas de gestão e sustentabilidade no marco da transição energética na América Latina.

Seus membros são: Enel Peru, Enel Colômbia, Hidrandina, ElectroDunas, Enel Chile, Chilquinta, EDP (distribuidoras Espírito Santo e São Paulo), Cosern, Enel Brasil (Enel distribuição Goiás, Enel distribuição Ceará, Enel distribuição Rio de Janeiro, Enel distribuição São Paulo), Light e Adeera.

Os propósitos da Adelat são:

– conseguir cooperação e troca de informações entre seus membros,

– incentivar a pesquisa, o desenvolvimento e a implementação de novas tecnologias,

– promover práticas sustentáveis ​​e uso responsável da energia elétrica,

– promover a confiabilidade das redes de distribuição,

– potenciar a adaptação das redes de distribuição aos recursos energéticos renováveis ​​e distribuídos,

– trabalhar para garantir a segurança do abastecimento e o acesso universal ao serviço de eletricidade, e

– Representar os interesses comuns das empresas de distribuição nas instituições e nos organismos internacionais e/ou multilaterais.