Skip to content
ADELAT lança novo DSO Brief que destaca o papel protagônico das redes de distribuição na habilitação da mobilidade elétrica na região

A Associação de Distribuidoras Elétricas Latino-americanas lançou o DSO Brief “A rede de distribuição como habilitadora da mobilidade elétrica na América Latina” para fornecer uma visão abrangente das vantagens e desafios para a distribuição elétrica da implementação desta tecnologia na região.

 

O trabalho inclui contribuições de renomados especialistas de empresas associadas à ADELAT e de membros da Associação Latino-Americana de Mobilidade Sustentável (ALAMOS).

 

A eletrificação dos transportes exige o desenvolvimento de novas infraestruturas elétricas, razão pela qual o desenvolvimento das redes de distribuição deve ser sincronizado para facilitar a transição energética e a integração dos Recursos Energéticos Distribuídos. Neste cenário, o papel do DSO (Operador do Sistema de Distribuição) se torna protagonista porque a rede será uma importante habilitadora da transformação sustentável da mobilidade.

 

As vantagens da mobilidade elétrica (ME) são inegáveis, mas o seu real impacto dependerá da forma de implementação, da rapidez da sua adoção e das características específicas de cada área de aplicação. Nos últimos dois anos, a ME registrou um crescimento superior a 260% nos países mais representativos da América Latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru, República Dominicana e Uruguai). A mobilidade elétrica é uma solução ambientalmente sustentável para a redução das emissões de gases com efeito de estufa (GEE) e do impacto na saúde associado à melhoria da qualidade do ar e da exposição ao ruído nas cidades. Além disso, representa um motor de desenvolvimento econômico regional, uma vez que aproveita os recursos disponíveis e promove a autonomia na matriz energética.

 

O impacto da eletrificação total da mobilidade é estimado entre 6% e 25% da demanda total de eletricidade dos sistemas elétricos nacionais, razão pela qual a evolução destes sistemas é necessária para se adaptar ao crescimento da ME. Neste sentido, para acompanhar a crescente eletrificação do consumo, é essencial dispor de uma rede de distribuição elétrica moderna, digital, automatizada, segura, resiliente, flexível, sustentável e com capacidade de acomodação suficiente, o que exigirá marcos regulatórios que reconheçam os investimentos em ativos relacionados com a recarga dos veículos e que promovam a previsão da demanda, o investimento antecipado, as estruturas tarifárias flexíveis e a colaboração entre os atores envolvidos.

 

Entre as principais recomendações incluídas no documento, se destacam:

  • Investimento e parcerias;
  • Educação e conscientização pública;
  • Incentivos e políticas claras;
  • Desenvolvimento da indústria local;
  • Planejamento energético;
  • Pesquisa e desenvolvimento e
  • Compromisso com a sustentabilidade

 

Para materializar estes benefícios, é necessário que a América Latina e O Caribe avancem de projetos-piloto para a massificação do transporte de baixas emissões, através de um planejamento abrangente, coordenado e participativo, que envolva os diferentes atores públicos e privados, e que considere as necessidades e características de cada país e da região.

 

“Somente através de uma abordagem abrangente será factível o equilíbrio entre os incentivos e a necessidade do consumidor de uma rede de carregamento confiável e acessível”, conclui o trabalho.

 

Na ADELAT trabalhamos para orientar os esforços rumo a uma mobilidade elétrica bem-sucedida, sustentável e acessível para todos na América Latina.

 

 

 

*Acesse ao download do documento completo no idioma de sua preferência:

Português

Espanhol

 

*Para mais informações ou comunicados de imprensa, escreva para comunicacion@adelat.com

 

Sobre ADELAT

A Associação de Distribuidoras Elétricas Latino-Americanas é uma organização sem fins lucrativos, criada no final de 2021. Pretende ser uma referência na atividade de distribuição elétrica com o objetivo de promover e acompanhar o processo de transformação da distribuição elétrica na América Latina no âmbito da transição energética.